22 -July -2018
Adicionar aos Favoritos

Um bom candidato autárquico

Vamos ser chamados, muito brevemente, a emprestar o nosso voto aos autarcas de freguesia (assembleia de freguesia) e municipais (câmara e assembleia), pois aproxima-se a passos largos a data das eleições autárquicas 2017, que se vão realizar ainda este ano. No decorrer do próximo mês de outubro, os portugueses vão ser chamados a exercer, mais uma vez, o seu direito de voto.

Continuar... Um bom candidato autárquico

Um país a três velocidades

Sempre que se aproximam as campanhas eleitorais, principalmente as eleições autárquicas, aparece no vocabulário dos políticos, e nos programas eleitorais, a palavra «descentralização». Só que esta palavra mais que rebuscada, não passa de um embuste, de uma falsidade, originando uma descrença tal nos eleitores, que sabem muito bem que não é para ser levada a sério, esta promessa de nada fazer.

Continuar... Um país a três velocidades

Inverdades

Na língua portuguesa, como língua viva que é, aparecem de vez em quando algumas inovações linguísticas, como as palavras que surgiram, com a democratização das novas tecnologias, mas também com a dinâmica da política que originou a necessidade de uma nova palavra, para suavizar um conceito já existente (mentira). Foi assim que surgiu uma nova palavra (inverdade).

Continuar... Inverdades

Força, Senhor Presidente da Câmara!

As obras do prolongamento da linha do Metro do ISMAI até à Trofa têm servido de motivo para os diferentes governos gozarem e insultarem os trofenses. E na Assembleia da República, ora é aprovada a referida obra, ora é aprovado um estudo de viabilidade económica, antes de avançarem as referidas obras. 

Continuar... Força, Senhor Presidente da Câmara!

Ainda é «chique» ser de esquerda?

Já caminhamos para o final da segunda década do século XXI, mas ainda existem muitas pessoas no nosso país, que continuam a tentar vender uma imagem que não é a sua. Já vem do tempo em que o «cravo vermelho ao peito» ficava bem e continuam sem coragem para mudar, mesmo estando na sua essência que são o oposto daquilo que querem mostrar ser. Obviamente, essas pessoas não são sinceras nas suas crenças e, por isso, tudo ou quase tudo que fazem ou dizem cheira a fingido. É um fingimento tremendo!

Continuar... Ainda é «chique» ser de esquerda?