23 -October -2017
Adicionar aos Favoritos

Prostituição: discutir ou assobiar para o lado?

O tema da prostituição não é pacífico nem consensual, talvez porque esteja impregnado de tabus e, por isso mesmo, ou talvez não, também está envolvido em polémica, pelo menos quando se aborda o assunto publicamente. Talvez seja mais consensual e mais pacífico, se for feita uma abordagem pelo lado da degradação do ser humano, principalmente a prostituição de rua, a prostituição nas bermas das estradas nacionais ou secundárias, que se vê por todos os cantos e esquinas do nosso país. Infelizmente é uma degradação tal que parte o coração de quem tem, dentro de si, alguma humanidade.

Continuar... Prostituição: discutir ou assobiar para o lado?

Uma proposta honesta para o nome da Alameda

Recentemente foi apresentado o Projeto de Requalificação do Corredor Central, a popularmente chamada Alameda da Estação, que para ser efetuada terão que ser aprovados os projetos apresentados em programas de apoio, concretamente ao programa Norte2020, ao programa Portugal2020, à CCDR (Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional) e à U. E. (União Europeia). É uma obra importante e mais que necessária, para a requalificação de uma zona central da cidade da Trofa.

Continuar... Uma proposta honesta para o nome da Alameda

Não vou entrar na festa, pá!

Os graves problemas do país, só serão resolvidos quando tivermos uma economia saudável, uma economia que cresça sustentadamente. Enquanto tivermos uma economia com taxas de crescimento muito baixas, não é crescimento, aliás como tem acontecido desde o início do século, em que a economia portuguesa não tem crescido. O que tem existido há quase duas décadas é desilusões e puros enganos!

Continuar... Não vou entrar na festa, pá!

O Norte trabalha e Lisboa gasta

É óbvio que no Sul, mais concretamente em Lisboa, vai surgir com alguma veemência a contestação à afirmação que faço no título, e no conteúdo desta Crónica, e até vão dizer que há nela muito exagero e até presunção. Infelizmente não há. É só a triste realidade!

Continuar... O Norte trabalha e Lisboa gasta

Estado Islâmico, «uma ova»!

A interjeição «uma ova», que utilizei no título desta Crónica, significa repulsa e é com uma raiva a crescer-me nos dentes que faço esta afirmação, para contrariar veementemente o que se lê e se ouve em muitos órgão de comunicação social quando afirmam: o Estado Islâmico. «Uma ova», pois o que devem dizer é: “jihadistas do Daesh”. Ou simplesmesnte terroristas islâmicos, pois “jihadistas” significa “combatentes” e “Daesh” significa “aquele que semeia a desordem”.

Continuar... Estado Islâmico, «uma ova»!