18 -August -2019
Adicionar aos Favoritos

Concelho da Trofa: não foi fácil

Foram muitas as gerações que sonharam e lutaram, para que fosse criado um novo Concelho, desde a década de 30 do século XIX até finais do século XX, para que a realidade homogénea, em termos geográficos, culturais, históricos e sociológicos, do conjunto de oito freguesias desagregadas da Maia, primeiro por força da Divisão Judicial, em 7 de agosto de 1835 integradas no Julgado de Santo Tirso e, pouco tempo depois, em consequência da nova Divisão Administrativa, de 6 de novembro de 1836 agregadas no então criado Concelho de Santo Tirso, se tornassem independentes.

Continuar... Concelho da Trofa: não foi fácil

Tudo tem o seu tempo

O tempo é tão curto que não deveríamos ter tempo para temer o tempo, nem deveríamos perder tanto tempo à procura do tempo perdido, porque somente o tempo será capaz de nos dar tempo para compreender o tempo. Com o passar do tempo é que vamos entender que não entendemos nada com o tempo e nem sequer encontramos tempo para viver o tempo que passa a voar e nos leva com ele, nas asas do vento. 

Continuar... Tudo tem o seu tempo

Fake news

O boato é uma notícia, que se propaga de boca em boca, sem veracidade confirmada e sem ser conhecida a sua procedência, mas que se espalha muito rapidamente e pode originar aborrecimentos graves. A propagação de notícias falsas é um fenómeno já muito antigo, que teve sempre um propósito desestabilizador. 

Continuar... Fake news

Concelho da Trofa: valeu a pena!

A memória é uma história que se escreve com as palavras arrojadas, que o presente nos sugere. A história é uma viagem através do tempo; é testemunha do passado, luz da verdade, vida da memória, mestre da vida, anunciadora dos tempos antigos. A história é a ciência dos homens no tempo.

Continuar... Concelho da Trofa: valeu a pena!

O Brasil existe, mas também existe Cuba e Venezuela!

Muitos militantes do politicamente correto, que se encontram acantonados nas esquerdas do espetro político português, continuam a alimentar o péssimo hábito de inundar de chavões, a sua retórica estapafúrdia e impregnada de arcaísmos decorados de frases feitas em tempos remotos e em circunstâncias de guerrilhas verbais, que só originaram desavenças pessoais. Esses intelectuais de pacotilha, que aspiram um dia ser os grandes educadores das massas, esquecem-se que este tipo de políticos caiu em desgraça no século passado, embora muitos deles tenham ressuscitado agora, com uma nova roupagem carunchosa e enfeitada com teias de aranha, a vociferar uma parafernália caduca e impregnada de bolor.

Continuar... O Brasil existe, mas também existe Cuba e Venezuela!