15 -February -2019
Adicionar aos Favoritos

Olivença é Portugal. É bom não esquecer!

 

Olivença, a antiga vila portuguesa do Alentejo, hoje cidade da província espanhola de Badajoz e da comunidade autónoma da Estremadura, está situada na margem esquerda do rio Guadiana e tem uma forma aproximadamente triangular, com dois dos seus vértices no Guadiana. A cidade de Olivença dista 23 km de Elvas, 24 km de Badajoz, 236 km de Lisboa, 424 km de Madrid e tem mais de 12.000 habitantes e uma área de mais de 430 km2. A sua demarcação é objeto de litígio entre Portugal e Espanha e é reivindicada de jure por ambos os países.

Continuar... Olivença é Portugal. É bom não esquecer!

Ser resiliente

 

A nossa vida não é linear, como não é linear a sociedade e os tempos em que vivemos. A vida das pessoas está repleta de desafios, que ora correm bem, ora menos bem e é nesses momentos que nos são exigidas atitudes. As nossas respostas perante os problemas é que nos ajudarão a conquistar o sucesso ou levar-nos ao fracasso. A vida é assim, sempre foi assim e sempre assim será.

Continuar... Ser resiliente

A fava do “entroikado”

 

Tem sido habitual nos últimos anos, a escolha entre os cibernautas da palavra que melhor representa o ano. Na lista elaborada pelos linguistas do departamento de dicionários da Porto Editora foi escolhida a palavra “entroikado”, que ficou à frente dos vocábulos “desemprego” e “solidariedade”. A palavra “entroikado” sucede a “austeridade” e significa: “obrigado a viver sob as condições impostas pela troika; que está numa situação difícil; tramado; lixado”.

Continuar... A fava do “entroikado”

Os déspotas financeiros

 

A atual crise, que começou por ser financeira e depois passou para económica e mais tarde para social, começou em 2008 com a falência de um tradicional banco de investimento americano, que foi seguida, no espaço de poucos dias, pela falência técnica da maior empresa seguradora americana, criando o efeito dominó noutras grandes instituições financeiras mundiais. Em poucas semanas, a crise norte-americana atravessou o Atlântico e instalou-se, até aos dias de hoje, na Europa.

Continuar... Os déspotas financeiros

O desmoronamento do Estado social será uma grande cretinice

 

Ao contrário do que muitos querem fazer crer, foi a direita política, através de Bismark, quem criou, em finais do século XIX, o Estado social com o intuito de desviar os trabalhadores alemães das ideias socialistas e comunistas, que começavam a surgir com alguma força no seio das classes trabalhadoras. Bismark, que ficou conhecido como o Napoleão da Alemanha, foi um político prussiano, uma personalidade internacional de destaque, provavelmente o estadista mais importante da Alemanha do século XIX.

Continuar... O desmoronamento do Estado social será uma grande cretinice