22 -July -2018
Adicionar aos Favoritos

Um País sem equidade é um País sem qualidade

 

Um dos barómetros, que revela a marcha do desenvolvimento sustentável de um País é a equidade existente no seio da comunidade. Um País sem equidade é um País desequilibrado e sem qualidade de vida. O problema da falta de equidade existente em Portugal é gritante em diversos domínios, desde o social, o económico, o ambiental e o demográfico.

Continuar... Um País sem equidade é um País sem qualidade

Extinção de Freguesias: sim ou não

 

A Freguesia, durante muitos séculos, teve apenas um papel religioso. Só com o século XIX, em Portugal, depois da Revolução Liberal, é que começaram a ser atribuídas algumas funções civis à Freguesia. Mesmo assim, durante grande parte do século XIX, o poder político hesitou muito se devia ou não reconhecer um papel, na administração pública civil, à Freguesia.

Continuar... Extinção de Freguesias: sim ou não

Puxar para cima

 

O povo português, que tem uma cultura multissecular e uma identidade muito própria e muito forte, tem a escorrer nas suas veias a tristeza do fado e na sua génese a simplicidade e humildade dos corajosos. É um povo habituado a chorar, mas também a lutar por valores de elevação, como a proteção de toda a vida humana. Talvez por isso, Portugal teve a coragem memorável e histórica de ser um dos primeiros países do mundo a abolir a pena de morte.

Continuar... Puxar para cima

Portugal está doente e pode morrer da cura

 

A grave crise económica e financeira, que Portugal está a viver há alguns anos a esta parte, é uma forte ameaça à capacidade de manter os níveis de qualidade de vida que os portugueses alcançaram até meados da década passada. Não é que alguma vez tivéssemos conseguido “dar o salto” para se atingir patamares de desenvolvimento, mas pelo menos não éramos considerados um país do terceiro mundo.

Continuar... Portugal está doente e pode morrer da cura

Feliz do autarca que nada faz

 

Em Portugal, as Autarquias Locais têm, desde 1976, dignidade constitucional. Segundo a lei fundamental, a organização democrática do Estado compreende a existência de Autarquias Locais, sendo estas pessoas colectivas de população e território, dotadas de órgãos representativos, eleitos democraticamente, que visam a prossecução dos interesses próprios, comuns e específicos das respectivas populações.

Continuar... Feliz do autarca que nada faz