25 -May -2018
Adicionar aos Favoritos

Sou aquilo que sou

Sou uma pessoa que caminha, e às vezes vagueia neste mundo cheio de injustiças e tiranias que fazem dilacerar o coração, seguindo os meus princípios, as minhas crenças, os meus valores, os meus ideais, mesmo que isso vá contra a corrente das pessoas que caminham a meu lado. Sou um livro aberto que pode ser lido à vontade, porém com algumas páginas arrancadas e outras em branco para serem preenchidas, por isso às vezes só possa ser compreendido nas entrelinhas das quimeras que povoam em mim.

Continuar... Sou aquilo que sou

Lutas intestinais nos partidos

A primeira finalidade da existência de um partido político é a procura deliberada da conquista e do exercício do poder, para depois de se instalar no poder passar a ser a manutenção do poder a todo o custo. O partido político que não tenha por objetivo principal a conquista, o exercício e a manutenção do poder é considerado um partido anómalo.

Continuar... Lutas intestinais nos partidos

Centelhices

Mário Centeno, o atual ministro das finanças do governo português desde 26/11/2015 e presidente do Eurogrupo eleito em 4/12/2017 é natural de Olhão e licenciado em Economia (1990), mestre em Matemática Aplicada (1998) pelo Instituo Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, e mestre (1998) e doutorado (2000) em Economia pela Harvard Business Scholl da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América.

Continuar... Centelhices

Viver a vida até à despedida

Nos tempos acelerados e conturbados em que vivemos, a falta de tempo é a justificação para a ostracização de muitas pessoas que deram à família, à comunidade, ao país, ao mundo, quase tudo que tinham para dar. Muitas dessas pessoas que estão vulneráveis e quase a deixar o seu legado à vida, só lhes restam a saudade em que as suas lágrimas se afogam numa espécie de rio que nasce da solidão e desagua no mar revolto da tristeza.

Continuar... Viver a vida até à despedida

Em política, o que parece é

O Estado de direito democrático garante os direitos e liberdades fundamentais e a separação e interdependência de poderes visando a realização e aprofundamento da democracia. O Estado deve obediência ao direito, pois cria direito e vincula-se a ele, sendo a justiça a expressão da moralidade do Estado e é ela que legitima o exercício do poder, na medida em que o modera e controla.

Continuar... Em política, o que parece é