21 -June -2018
Adicionar aos Favoritos

Sou aquilo que sou

Sou uma pessoa que caminha, e às vezes vagueia neste mundo cheio de injustiças e tiranias que fazem dilacerar o coração, seguindo os meus princípios, as minhas crenças, os meus valores, os meus ideais, mesmo que isso vá contra a corrente das pessoas que caminham a meu lado. Sou um livro aberto que pode ser lido à vontade, porém com algumas páginas arrancadas e outras em branco para serem preenchidas, por isso às vezes só possa ser compreendido nas entrelinhas das quimeras que povoam em mim.

Sou uma pessoa que cresci no regaço dos afetos, evoluí de mão dada com a esperança e amadureci nas asas do tempo, para me transformar naquilo que sou hoje, naquilo que de melhor eu me dei.  Sou aquilo que sou e não o que outros quiseram que eu fosse, e fui me desenvolvendo na prática do saber, no que me fui concebendo, caindo, aprendendo a levantar, para reforçar aquilo que é o meu ser.

Sou uma pessoa que tem dias imensos, do tamanho da minha vida, com muitos momentos que são irrepetíveis, inenarráveis, embora também tenha outros que quero, propositadamente, varrê-los da minha memória. Sou uma pessoa que está infinitamente grata à vida e às pessoas encantadoras que passaram pela minha vida e me emprestaram tanta alegria e paixão.

Sou muito mais do que as minhas simples palavras, pois sou aquilo que ainda penso ser, e não aquilo que os outros querem que eu seja ou aquilo que pensam que sou. As veias que me correm no corpo são as minhas veias e o meu coração, que tem o tamanho do mundo está pintado com as cores do amor e inundado de paixão pelas coisas, pelas pessoas, pela vida. 

Sou um puro exemplo do não conformismo, a mera recusa de dobrar o joelho ante o costume e mesmo nos meus pesadelos rastejo incansavelmente tentando encontrar a coluna vertebral. Sou um ser humano, um livre-pensador que tem gana em golpear o intelecto de alguns figurões que flutuam na espuma da ignorância, sabem tudo sobre nada e são amantes do politicamente correto, que mais não é do que o melhor disfarce para a imbecilidade intelectual.

Sou uma pessoa que tem momentos bons e menos bons, momentos árduos, com altos e baixos, alegres e tristes. Sou uma pessoa que teve perdas, mas também teve ganhos, por isso é que sei dar a mão a quem precisa e a respeitar a individualidade de cada um.

Sou uma pessoa que a lei da vida ensinou a seguir em frente com a cabeça erguida, a coluna vertebral bem direita, às vezes com algum pudor, mas sempre com dignidade, modéstia, amizade, moderação, diligência, dedicação, justiça, educação e amor aos outros e à vida. Sou uma pessoa que sabe que as melhores coisas da vida não podem ser vistas nem tocadas, mas sentidas pelo coração e que a tarefa de viver é dura, mas fascinante! 

Crónica escrita em 03/02/2018, para ser publicado na “BIRD Magazine”, tendo em atenção as regras do novo acordo ortográfico.