17 -December -2017
Adicionar aos Favoritos

Nos últimos 22 anos o país foi governado 15 anos pelos socialistas

Em Portugal é típico de um partido político quando está no poder dizer e fazer o contrário daquilo que disse e fez quando estava na oposição. Também tem sido recorrente o partido político que está no poder dizer que a culpa da situação calamitosa em que o país se encontra é do governo anterior.

Neste permanente olhar para trás, o Partido Socialista não é exceção, bem pelo contrário, pois tem usado e abusado, vezes sem conta, deste argumentário de pacotilha e desta postura bafienta, pouco condizente com as exigências dos tempos atuais. Foram tantas as vezes que se ouviram os dirigentes e governantes socialistas vociferar contra o governo anterior, como sendo o culpado das maleitas do país.

Mas a realidade é que foram os governos chefiados por socialistas que deixaram o país em situação calamitosa ou em situação de bancarrota, com necessidade de solicitarem a vinda do FMI a Portugal, para “endireitar” as contas públicas. Enquanto houver memória terão de ser os socialistas a carregar com esta mácula, por muito que lhes custe.

Os dois primeiros pedidos de intervenção estrangeira (1977 e 1983) foram solicitados por governos chefiados por Mário Soares. O governo do socialista António Guterres (1995-2002) demitiu-se, depois de conhecida a hecatombe dos socialistas nas urnas, com a justificação da sua saída ser sentida pela necessidade de evitar que o país mergulhasse no “pântano”. O terceiro pedido de intervenção estrangeira (2011), em pouco mais de três décadas, também foi solicitado por um governo socialista, chefiado por José Sócrates, o pior primeiro-ministro que Portugal teve em democracia pós-25 de abril.

Sempre que passaram pela governação do país, os socialistas deixaram um legado bem triste aos portugueses: um presente envenenado e um futuro hipotecado. Ainda hoje, e por muitos anos ainda, o país tem uma enorme fatura para pagar originada pelos erros usuais e destituídos de razoabilidade, bem típicos da gestão socialista, que é gastarem mais do que aquilo que podem.

Por mais que vocifere Costa e os seus apaniguados contra o governo anterior, não pode esconder o facto de estar à frente da governação do país há tempo mais que suficiente para ter endireitado aquilo que diz estar mal, provocado pela governação anterior. Um exemplo desta permanência dos socialistas no poder central é o atual ministro Capoulas Santos que é o funcionário público e o político há mais tempo no ministério da agricultura.   

Seja qual for o problema existente que necessite de intervenção, na opinião dos socialistas, já é tempo de ter sido resolvido. A desculpa esfarrapada dos socialistas, em relação às culpas do governo anterior é para esconder as graves lacunas tradicionais de uma governação socialista. 

Não pode ser escamoteado o facto de os socialistas terem estado ao leme da governação de Portugal durante muitos anos. Demais até! Nos últimos 22 anos o país foi governado 15 anos pelos socialistas. E muito mal, como se viu e ainda se sente. Infelizmente! 

Crónica escrita em 28/10/2017, para ser publicado no Jornal “O Notícias da Trofa”, tendo em atenção as regras do novo acordo ortográfico.