25 -February -2018
Adicionar aos Favoritos

Lutas intestinais nos partidos

A primeira finalidade da existência de um partido político é a procura deliberada da conquista e do exercício do poder, para depois de se instalar no poder passar a ser a manutenção do poder a todo o custo. O partido político que não tenha por objetivo principal a conquista, o exercício e a manutenção do poder é considerado um partido anómalo.

Continuar... Lutas intestinais nos partidos

Viver a vida até à despedida

Nos tempos acelerados e conturbados em que vivemos, a falta de tempo é a justificação para a ostracização de muitas pessoas que deram à família, à comunidade, ao país, ao mundo, quase tudo que tinham para dar. Muitas dessas pessoas que estão vulneráveis e quase a deixar o seu legado à vida, só lhes restam a saudade em que as suas lágrimas se afogam numa espécie de rio que nasce da solidão e desagua no mar revolto da tristeza.

Continuar... Viver a vida até à despedida

Em política, o que parece é

O Estado de direito democrático garante os direitos e liberdades fundamentais e a separação e interdependência de poderes visando a realização e aprofundamento da democracia. O Estado deve obediência ao direito, pois cria direito e vincula-se a ele, sendo a justiça a expressão da moralidade do Estado e é ela que legitima o exercício do poder, na medida em que o modera e controla.

Continuar... Em política, o que parece é

Centelhices

Mário Centeno, o atual ministro das finanças do governo português desde 26/11/2015 e presidente do Eurogrupo eleito em 4/12/2017 é natural de Olhão e licenciado em Economia (1990), mestre em Matemática Aplicada (1998) pelo Instituo Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, e mestre (1998) e doutorado (2000) em Economia pela Harvard Business Scholl da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos da América.

Continuar... Centelhices

A desresponsabilização pelo passado

O primeiro-ministro, que é também secretário-geral do partido socialista tem sido bafejado pela sorte por estar a haver uma ligeira retoma económica provocada pela baixa significativa das taxas de juro e pela pujança do comércio internacional. Tudo isto conjugado com uma imprensa muito suave e uma oposição fragilizada tem ajudado António Costa a passar por entre os pingos da chuva nas muitas situações graves que o país tem vivido.

Continuar... A desresponsabilização pelo passado